Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

2016 desafios e vitórias. 2017 esperanças e energias renovadas. Artigo por Odirlei Araújo

2016 desafios e vitórias. 2017 esperanças e energias renovadas. Artigo por Odirlei Araújo

Chegamos ao final de mais um ano em que muitos desafios nos foram postos, muitas lutas tivemos que enfrentar e mesmo em momentos de extremo cansaço pelo volume de trabalho a realizar, nunca recuamos ou nos negamos a estar na linha de frente em busca de resultados positivos para a nossa categoria Policia Civil e também para a nossa querida sociedade amazonense.


Desde o mês de janeiro estive a frente de várias ações em defesa dos direitos dos policiais, questionando e levando às autoridades as demandas de nossos irmãos de caminhada, algumas vezes tivemos inclusive que nos indispor até mesmo com o Governo do Estado para fazer valer o respeito por nós e nosso árduo oficio. Na condição de cidadão e ativista social que sempre marcaram minha vida, estive a frente de várias lutas sociais como as batalhas travadas em defesa da manutenção dos serviços de saúde que estavam na iminência de piorar por falta de gerencia do Governo do Estado e o oportunismo da Prefeitura que apostava no quanto pior melhor, e, assim, fomos incansavelmente unir forças com outras lideranças, gritar e manifestar nosso repúdio contra as maldades tentadas contra nossa gente.


Nesse mesmo ano, durante os doze meses, estivemos levando apoio, conforto e esperança a varias comunidades de Manaus com nossas ações sociais e apresentação de projetos que possibilitariam melhores condições de vida a muitas famílias carentes e ao mesmo tempo mostrando para essas pessoas que é possível fazer o bem social, o que falta é vontade e respeito dos governantes. Veja-se o exemplo do Programa Bolsa-família, que apesar dos ataques que sofreu e das insinuações maldosas, muito ajudou a muitos e ainda continua sendo a única fonte financeira para muitas famílias em um país de dimensões continentais, extremamente rico em recursos naturais, mas que tem a maior parte de sua população vivendo na miséria.


Encaramos o desafio que muitos amigos e lideres comunitários nos apresentaram. O de sair candidato a Vereador pela Cidade de Manaus, considerando que diante de tantos anos de ativismo social, de tantas ações feitas cidade afora em favor dos menos favorecidos, de muitas vezes incorporar o espirito de Quixote para defender os indefesos e principalmente a necessidade de nossa população em ter nos quadros do legislativo municipal, alguém de fato comprometido com o bem coletivo, com a seriedade que se espera de um parlamentar e que poucos demonstram ter. Manaus pedia um Vereador do povo.


Aceitamos o desafio, vestimos a armadura da esperança e da coragem para enfrentar os poderosos candidatos e partidos que apadrinhavam alguns pretensos futuros vereadores ou a reeleição daqueles que se sentiam donos do cargo. Fomos a todos os cantos da cidade, nas margens de rio e nas estradas, nas casas acolhedoras de nossos apoiadores e nos difíceis becos das comunidades mais carentes levando nossa proposta. Fizemos o melhor, combatemos o bom combate, mas no final desta batalha não saímos com o mandato garantido, mas saímos com a alegria de termos entrado e saído de forma honroso e feliz por termos construído boas propostas que certamente ajudariam muito a nossa gente se esta tivesse correspondido ao que nos pediram e tiveram a resposta em forma de propostas e compromisso verdadeiro.


Agradeço a todos pelo voto de confiança.

Voltando desse momento em que nos colocamos a disposição dos cidadãos de Manaus, voltei com força aos trabalhos do SINPOL-AM e com disposição redobrada para enfrentar os gigantes desafios que ameaçavam nossa categoria. A luta pelo ticket alimentação não cessou e nem cessará, a luta pela retomada do pagamento da data-base está em campo e agora tentaram burlar nossa classe com a tentativa de não pagar a terceira parcela do escalonamento da Policia Civil. 


Enganou-se, no entanto, aqueles que pensaram que eu, Vice-Presidente do SINPOL-AM e meus pares de diretoria ficaríamos inertes e esperando ser lesados em nossos já tão atacados direitos.


Levantamos novamente a bandeira de luta e fomos a campo, visitando cada Deputado Estadual, explicando a nossa razão, expondo motivos e provando a possibilidade de o Governo honrar com o compromisso do escalonamento, contrariando os argumentos desgastados de quem quisesse dizer que não poderiam nos pagar e por fim, depois de muita insistência, muitas batalhas e campanas junto aos deputados, conseguimos unir forças com outras instituições e garantir a inclusão da emenda a Lei Orçamentária Anual que garante recursos para o pagamento da terceira parcela do nosso escalonamento, tendo a emenda aprovada por unanimidade. Luta nossa, Vitória da categoria.


Como nossa sina de liderança social e classista é estar sempre na incessante batalha contra ações principalmente de governos que tentam nos fragilizar e consequentemente prejudicar a sociedade, temos pela frente a gigantesca batalha contra o Governo Federal que tenta aprovar a famigerada Reforma da Previdência, atacando frontalmente os direitos trabalhistas de todo trabalhador brasileiro, mas nós não vamos nossa calar e não vamos dar sossego a ninguém que tente prejudicar e como disse o líder revolucionário Emiliano Zapata: “Se não há justiça para o povo, que não haja paz para o governo”.


Por fim amados amigos e amigas, família, familiares colegas de trabalho, cidadãos de Manaus e a todos quantos anseiam por dias melhores, pela paz, pela prosperidade e principalmente pela presença de Deus em todos os corações, desejo ardorosamente que possamos todos em um só coração, fazer uma só oração de agradecimento a Deus por tudo o que nos proporcionou neste ano de 2016 em desafios, lutas e vitórias, e, que em 2017 nos de forças e sabedoria para viver cada dia com a força de Sansão, com a paciência de Jó, com a sabedoria de Salomão e com o amor de Jesus Cristo para possamos viver em união, amando uns aos outros e construir um mundo melhor onde cada um se veja no outro.

 

Feliz Ano Novo!

 

“Fé na vida, fé no homem, fé no que virá, Nós podemos tudo, nós podemos mais,

Vamos lá fazer o que será.”  (Gonzaguinha)

 

 

 

O autor é Economista, Escrivão de Polícia Civil, Presidente da AEPOL e Vice-Presidente do SINPOL-AM.

Comentários »


Enviar comentário




Lida 828 vezes