Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

ARTIGO: Democracia Ordem e Progresso

ARTIGO: Democracia Ordem e Progresso

Democracia é a forma de governo em que a soberania é exercida pelo povo.

 

É legitimo e assegurado o direito a liberdade de expressão, também é garantido pela Constituição Federal o direito a reunião e manifestação pública, assim como é garantido o exercício do mandato para os candidatos a cargos mandatários eleitos pela maioria e que estes devem ser respeitados e mantidos em seus cargos, exceto se houver situação e improbidade administrativa comprovada, transitada e julgada. De outra forma não é cabível que um mandatário sofra qualquer prejuízo de suas funções delegadas.

 

A palavra democracia tem origem no grego demokratía que é composta por demos (que significa povo) e kratos (que significa poder). Neste sistema político, o poder é exercido pelo povo através do sufrágio universal.

 

A democracia no Brasil foi conquistada a duras penas e até com perda de vidas e derramamento de sangue.  O fato de a República nascer como uma aceitação das elites e ter sido realizada através da espada do exército brasileiro conformou um caráter autoritário e excludente do Estado brasileiro, garantindo os privilégios das classes dominantes e a negação de direitos às classes exploradas durante muito tempo. A participação do exército na vida política nacional foi também uma constante da história republicana do país, que pode ser dividida em algumas fases.  

 

República Velha

 

A República Velha, ou Primeira República, é o primeiro período dessa história, compreendida entre a Proclamação da República em 1889 e a Revolução de 1930. Inicialmente ela foi caracterizada pela presidência de dois marechais do exército, o que lhe garantiu o nome de República da Espada. Após esses dois mandatos, a elite rural paulista e mineira passaram a deter o poder do governo federal, garantindo o poder da oligarquia agrária, o que deu fundamento aos historiadores para chamarem esse período de República Oligárquica.

 

Era Vargas

 

A Revolução de 1930 elevou Getúlio Vargas ao poder, permanecendo como presidente até 1945. Durante seu Governo Provisório (1930-1934), o novo presidente conseguiu contornar os conflitos entre as elites nacionais, principalmente com a vitória sobre a oligarquia e burguesia industrial paulista durante a Revolução Constitucionalista de 1932.

 

Regime Liberal Populista

 

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, Vargas estava enfraquecido. Um golpe comandado pelo general Eurico Gaspar Dutra o retirou do poder. Uma nova Constituição foi adotada em 1946, garantindo a realização de eleições diretas para presidente da República e para os governos dos estados. O Congresso Nacional voltou a funcionar e houve alternância no poder.  

 

Ditadura Militar

 

Iniciada em 01 de abril de 1964, a Ditadura Militar foi um dos períodos mais repressivos da História da República. Inúmeros grupos políticos foram cassados, e seus membros torturados e mortos. O que diferenciou o período foi a sistematização da repressão estatal aliada ao incentivo ao desenvolvimento econômico. A estrutura estatal repressiva, de impedimento do exercício da oposição política através de instituições policiais, garantiu a estabilidade social necessária aos investimentos estrangeiros. Foi o período do milagre econômico brasileiro e da tentativa de transformação do país em uma potência mundial.  

 

A Nova República

 

A Nova República iniciou-se com o governo de José Sarney e permanece até os dias atuais, com o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Sarney foi eleito através do voto indireto e durante seu governo foi elaborada uma nova Constituição, promulgada em 1988, que garantia eleições diretas e livres a todos os cargos eletivos. A divisão dos poderes foi mantida e uma nova perspectiva democrática liberal se abriu no país.

 

A alternância do poder garantiu a eleição da primeira mulher para a presidência da República, em 2010. Esse é um dos mais marcantes fatos da recente história republicana brasileira.

 

Justamente a Presidente eleita por dois mandatos pela vontade soberana da maioria da população votante hoje vem sendo alvo de manobras politicas a fim de desestabilizar não somente seu governo, mas a imagem e credibilidade do nosso país.

 

Partidos que estão na base aliada do governo e que em nada representam a vontade do povo brasileiro, estão se voltando contra sua líder, sem levar em conta o mal que causam não somente a pessoa da governante, mas ao pais como um todo, uma vez que uma crise politica interna vai afetar a economia interna e fatalmente causar abalos na estrutura social, o que pode nos levar ao estado de recessão e fazer com que ops menos prósperos sejam os mais atingidos.

 

O PMDB, partido com maior numero de parlamentares na bancada federal e que detém vários ministérios é no momento o partido que mais se posiciona como opositor do governo que compõe. Ainda que se siba que na história da Nova República o PMDB é o único partido que esteve em todos os governos como partido da base aliada. O que causa indignação com a postura dos senhores deste partido é que mesmo tendo um de seus líderes como vice-presidente da República, estes se comportam como líder da oposição. As razões se podem supor. Em caso de um possível impedimento da Presidenta Dilma, o vice e o partido seriam os detentores do poder absoluto, pois não permitiriam sendo estes antidemocráticos em suas ações, a participação de outras força politicas que não rezassem sua cartilha.

 

Partidos chamados de socialistas, democratas, cristãos, progressistas e outras denominações parecem desconhecer quando faze suas criticas e ataques que, sua origem está na mesma árvore genealógica do PT e de outros de orientação socialista. Vale então observar a estes partidos o seguinte:

 

Social democracia

 

Social democracia é a designação de partidos e correntes políticas com tendências marxistas e que surgiram antes da I Guerra Mundial. Este tipo de ideologia política tem como fundamento o marxismo e princípios como igualdade e justiça social, solidariedade e liberdade.

 

A social democracia propunha uma mudança da sociedade capitalista, através de métodos graduais e nunca revolucionários, de acordo com normas do sistema parlamentar e democrático.

 

Então não neguem suas orientações fundamentais atentando contra a democracia e a sociedade. A Presidenta foi eleita democraticamente pela vontade da maioria da sociedade brasileira. Como já dito, uma crise politica interna pode fatalmente desestabilizar a ordem econômica e social e gerar uma crise de credibilidade internacional, o que seria extremamente prejudicial  para a população do Brasil. Nunca na história de nosso país um governante foi tao corajoso a ponto de cortar na própria carne e trazer a tona as investigações da Policia Federal e do Ministério público Federal e ainda permitir que a imprensa brasileira noticiasse os fatos. Nunca houve a abertura que hoje se vê para que improbidades administrativas fossem investigadas e os culpados punidos. Não senhores, nunca dantes houve.

 

Quanto aos militares, estes não querem e nem tem pretensões de derrubar qualquer governante. Não adianta usar seus nomes para clamar por injustiças, eles hoje são outros  assim como os tempos são outros. Então pensemos que não gritando por impedimento de nossa governante que vamos solucionar os problemas que nos afligem. Se Dilma fosse atingida como querem alguns, o seu vice, este que poucos se preocupam em analisar assumiria o poder e aí sim o caos seria estabelecido.

 

Muitos podem até razoavelmente perguntar: “então porque ele foi escolhido?”, a resposta é alianças partidárias válidas para todos, mas que infelizmente foi feita com pessoas que colocam a ambição acima da honra, da lealdade e da moral.

 

Somente com seriedade de nossas ações poderemos chamar a atenção de nossos líderes. Somente respeitando a vontade da maioria faremos valer o direito de todos, somente com atos de justiça alcançaremos a justiça, somente respeitando a democracia e mantendo a ordem alcançaremos o tão sonhado progresso.    

 

“Tem gente que está do mesmo lado que você, mas deveria estar do lado de lá”. (Renato Russo)

 

Odirlei Araújo

Bacharel em Ciências Econômicas ,

Vice - Presidente do Sinpol-Am

Presidente da Aepol

 

Comentários »


Enviar comentário




Lida 819 vezes