Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

CONSCIÊNCIA. QUAL A COR DA SUA? Artigo. Por Odirlei Araujo

CONSCIÊNCIA. QUAL A COR DA SUA?  Artigo. Por Odirlei Araujo

  O Dia 20 de Novembro é, sem dúvida, uma grande conquista dos movimentos sociais, que lutam contra o preconceito racial e pela garantia da igualdade de direitos. Esta data foi escolhida em homenagem a Zumbi dos Palmares, já que este foi o dia de sua morte, em 1695. Embora o Dia da Consciência Negra seja celebrado desde a década de 1960, somente em 9 de janeiro de 2003, esta data foi instituída oficialmente pelo projeto lei número 10.639.

 

  Obviamente, a luta pela igualdade continua e muitas coisas já aconteceram de lá pra cá. Hoje, há uma articulação maior e muitos mecanismos são usados nessa batalha. Na época de Zumbi, a resistência e os quilombos, eram as armas mais fortes e, muitas vezes, a fuga era a única saída. Nos dias atuais, com a ‘liberdade de expressão’ e a homologação de algumas leis, há uma disseminação maior dos anseios da sociedade negra, o que resulta em conquistas relevantes.

 

     O mito de uma suposta democracia racial no Brasil é cada vez mais surrado pela realidade. Os indicadores sociais do país têm mostrado com freqüência que negros e pardos ganham menos, sofrem mais com violência, são a maioria da população carcerária, recebem menores salários e têm maior dificuldade para conseguir empregos. Ainda falta mais atuação dos poderes constituídos na atenção às populações a fim de que se tenha vida digna e que a necessidade de hospitais e presídios diminuída.

 

     Vemos muito alarde e sensacionalismo para vender jornal e conquistar audiência a qualquer preço! A imprensa com seu papel de formadora de opinião e com poder de desenvolver a cultura popular, tem sonegado a esta missão e feito apenas barulho e enfoques distorcidos, maquiados de populismo, ‘atendendo aos excluídos’ Em nenhum momento tem sido mencionado que somos um país de mestiços, ou qualquer outra etnia excluída.

 

   Vale lembrar que o Brasil não foi ‘descoberto’ como nos ensinam nos bancos escolares! Esta terra foi invadida, pois já havia habitantes aqui, a terra não estava abandonada! Os indígenas foram massacrados pelos invasores portugueses, espanhóis, franceses, holandeses, entre outros. Para cá foram mandados a escoria, os prisioneiros que inundavam os calabouços da Europa. Aqui apenas extraiam as riquezas e as levavam para as metrópoles de origem.

 

    Temos muitas etnias e seus descendentes que por meio da miscigenação, estão formando o povo brasileiro, uma nova raça mundial, que contem todos os povos do mundo. Somos o maior banco genético do mundo. Temos as experiências, as dores e as alegrias de toda a humanidade! Isso esta no inconsciente coletivo como diria Carl Gustav Jung, e nas células como afirmam os geneticistas atualmente.

 

   Penso que não é a Consciência Negra que se deve trabalhar e sim, a Consciência Humana. Uma vez que as instituições são formadas de pessoas e, são as pessoas que há em cada um de nós que devem ser repensadas, humanizadas. Somente o exercício da Consciência Humana poderá garantir a igualdade de direitos, sem desconsiderar as diferenças, mas não permitindo que estas, coloquem um indivíduo em condição superior ou inferior ao outro.

 

O autor é Bacharel em Ciências Econômicas, Escrivão de Policia Civil, Presidente da AEPOL-AM e Vice–Presidente eleito do SINPOL-AM

Comentários »


Enviar comentário




Lida 585 vezes