Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Governo não se posiciona e greve é inevitável

Governo não se posiciona  e greve é inevitável

  

Ultimo dia de prazo para o governo dar reposta sobre a pauta única de reivindicações dos policiais civis do amazonas expirou ontem, dia 9.  O indicativo de greve já foi votado e aprovado pela maioria da categoria, se dentro de três dias 12.06 não for  fechado nenhum acordo ou negociação... a greve será deflagrada em todo o Estado. A Polícia Civil vai parar!

 A equiparação dos salários de investigadores e escrivães com o salário dos peritos é o item numero 1 da pauta única de reivindicações que os policiais civis apresentaram ao governo do estado. A promoção automática é o item 2 da pauta. O reenquadramento referido no item 1 vai corrigir toda a diferença de salário entre estas classes, que é verdadeiramente absurda e de forma alguma pode permanecer do jeito que está, até porque, nem deveria nem precisaria existir Policia Civil, sem as figuras profissionais e honrosas do investigador e do escrivão.

Quem iria para as ruas, investigar, correr os riscos e prender o bandido? na delegacia, quem iria botar no papel de forma técnica, profissional e esclarecida, os depoimentos de vítimas (se vivas é claro), testemunhas e acusados, para que a justiça no final, juntando com as provas técnicas e científicas coletadas pelos peritos, iriam ajudar a justiça a fazer justiça clara e cristalina? portanto são três classes valorosíssimas que trabalham em parceria policial, para levar criminosos culpados às barras da lei.Então como pode existir um disparate salarial entre as classes, tão absurdo.

chegou a hora de mudar essa realidade e cobrar do governo a equiparação salarial de investigadores, escrivães e peritos e essa vitória dos policiais civis do amazonas, com total apoio do SINPOL-AM e das associações representativas, vai redundar com toda certeza, em um serviço bem mais 'excelente' em prol da sociedade, a quem os servidores pedem apoio, reconhecimento e valorização neste momento. 

 Ontem dia 9, encerrou o prazo dado ao governo para negociar o reenquadramento,  o indicativo de greve já foi votado há mais de uma semana e aprovado pela categoria. Em 72 horas a contar de ontem,  caso não haja resultados positivos e  nem avanço nas negociações, a Polícia Civil vai parar e a greve, último recurso, infelizmente será inevitalvel. Os Policiais Civis estão unidos em torno de um só ideal e esperam ainda, contar com a sensibilidade do Governador José Melo, para alcançar a vitória nesta luta que é mais do que justa.


 

 

Almir Cardoso - Assessor de Imprensa do Sinpol

 

 

Comentários »


Enviar comentário




Lida 2048 vezes