Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Manaus é 11ª em crescimento da taxa de homicídio em uma década com 36.7 mortes para cada 100 mil habitantes de acordo com o levantamento.

Manaus é 11ª em crescimento da taxa de homicídio em uma década com 36.7 mortes para cada 100 mil habitantes de acordo com o levantamento.

  O número de mortos por disparo de armas de fogo no Amazonas chegou a 1.502 pessoas, em 2012, o equivalente a quatro mortes por dia, revela a mais nova edição do levantamento ‘Mapa da violência 2015: mortes matadas por armas de fogo’. De acordo com o estudo divulgado, na quarta-feira (13), pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), 1.317 dessas mortes (87,7%) resultaram de homicídios, sendo que, em 728 delas, as vítimas tinham menos de 24 anos; as outras 185 foram suicídios.

 

O Amazonas aparece em 7º lugar no ranking entre os Estados com as maiores taxas de crescimento de homicídio da população geral, entre os anos de 2002 a 2012, 112,2% e em 9º em assassinatos juvenil, 98,7%.

 

Entre as capitais, Manaus é 11ª em crescimento da taxa de homicídio em uma década, com 36,7 mortes para cada 100 mil habitantes, de acordo com o levantamento. O número representa um crescimento de 72,2% , se comparado ao ano de 2002.

 

No Brasil, o número de mortos por arma de fogo, em 2012, chegou a 42.416 pessoas, destas 40.077 (94,5%) foram assassinadas. Tanto o total de vítimas de armas de fogo quanto o número de assassinatos praticados com armas de fogo são os mais altos já registrados no País pelo Mapa da Violência, cuja série histórica começa em 1980 e vai até 2012, segundo o autor do levantamento, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz.

 

De acordo com o estudo, o Amazonas, juntamente com Pará e Tocantins “são os responsáveis pela eclosão no número de homicídios no País, mais que duplicando os quantitativos em uma década”. O Estado saiu de 512 mortes, em 2002, para 1.317, em 2012. O número representa um crescimento de 157,2%. Entre a população jovem, o crescimento foi de 132,6%, no mesmo período, saltando de 313 para 728.

 

“O estudo mostra que os jovens são as maiores vítimas das mortes por armas de fogo no Brasil. Do total de 42.416 óbitos por disparo de armas de fogo, em 2012, 24.882 foram de pessoas na faixa de 15 a 29 anos, o equivalente a 59%. Em termos demográficos, os jovens correspondiam a pouco menos de 27% da população brasileira”, informou Waiselfisz.

 

O estudo é o terceiro com foco em mortes ocorridas exclusivamente por disparo de armas de fogo. O primeiro foi divulgado em 2005 e o segundo, em 2013, com dados até 2010. A nova versão incorpora dados de 2011 e 2012.

 

Suicídio

 

De acordo com o ‘Mapa da violência 2015: mortes matadas por armas de fogo’, o Amazonas registrou o segundo maior crescimento em mortos por suicídio por arma de fogo em uma década no País, saltando de 80, em 2002, para 185, em 2012 (131,3%), ficando atrás apenas da Paraíba, onde foi registrado um aumento de 142% nos casos de suicídio, no período.

 

A Região Norte registrou um crescimento de 77% sobre o número de mortes por suicídio, entre 2002 e 2012, sendo que  Amazonas, Roraima, Acre e Tocantins duplicaram o número de casos. Entre os Estados brasileiros, Amazonas, Bahia e Paraíba lideram o ranking na taxa de crescimento.

 

Entre a população jovem, o Amazonas lidera o ranking, com crescimento de 134% no número de casos. Foram 43 suicídios, em 2002, e 101, em 2012. A diferença entre a taxa de vitimização da população jovem para a não jovem é de 187,3, a maior do País. No Estado, São Gabriel da Cachoeira, com 20 suicídios em 2012; São Paulo de Olivença, com 12 e Tabatinga, com seis, se destacam entre os municípios brasileiros com os maiores números de suicídios no Brasil.

 

Fonte : D24am

 

Administração – Unidos para Avançar

Presidente – Moacir Maia

Vice Presidente – Odirlei Araujo

Diretor de Comunicação – Geraldo Filho

Assessor de Comunicação – Silvio Rodrigues

Comentários »


Enviar comentário




Lida 663 vezes