Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Mulher brasileira- Musa dos heróis - principio e fim. Artigo por Odirlei Araújo

Mulher brasileira- Musa dos heróis - principio e fim. Artigo por Odirlei Araújo

 Tu és divina e graciosa, estátua majestosa do amor, por Deus esculturada e formada com ardor da alma da mais linda flor de mais ativo olor, que na vida é preferida pelo beija-flor.

 

Nesta semana o nosso artigo não poderia ter outro tema que não fosse a justa homenagem às nossas amadas mulheres. Nossas mães, esposas, filhas, namoradas, irmãs, amigas, enfim; a estas pessoas maravilhosas que são a razão maior de existirmos. Que são a terra fértil onde plantamos nossos sonhos, nossos anseios, nossas esperanças e de onde colhemos os frutos daquilo que semeamos. O ventre onde somos gerados, os seios onde nos alimentamos, a proteção que vai de nossos primeiros momentos de vida até os últimos quando já não seremos mais. Mulheres que são e estão sempre presentes em nosso principio e em nosso fim.

 

A ti, Mulher, que nasceste para amar e ser amada, criada para dar vida à própria vida; e que és ainda tantas vezes maltratada nesta sociedade louca, corroída. Quero exaltar a importância de tua presença e de tua valorização junto à sociedade que muitas vezes é antissocial, que muitas vezes te renega o direito a própria liberdade. Tu que saístes do estado de submissão para chegar a cargos de poder; seja empresarial, cargos jurídicos, administrativos, legislativos e executivos. Tu és por natureza, vencedora.

 

Você mulher que é obra-prima e divina da própria natureza, Mulher, filha, esposa, mãe ou avó querida. Você merece nosso reconhecimento diário e a consideração que muitas vezes te deixamos faltar.

 

Cada um de nós tem em cada uma delas sua musa, assim como elas têm em nós seus heróis. A história da humanidade jamais seria completa sem presença da figura feminina em destaque.  

                
Mulheres guerreiras como Joana D’Arc,
a heroína: A combatente francesa (1412-1431) assumiu o comando do exército real em várias batalhas durante o reinado de Carlos VII. O papa Bento XV nomeou-a santa em 1920. Morreu na fogueira por heresia.

 

Maria Quitéria, militar: Maria Quitéria de Jesus (1792-1853) foi uma militar brasileira, heroína da Guerra da Independência. Considerada a Joana D'Arc brasileira, é a patronesse do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro. Vestiu-se de homem para alistar-se no exército. Morreu aos 61 anos no anonimato nos arredores de Salvador.

 

Cora Coralina, poetisa: Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (1889—1985) era uma mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.

 

Teresa de Calcutá, missionária: Gonxha Agnes (1910-1997) fundou a congregação Missionárias da Caridade para ajudar aos pobres. Dois anos após sua morte, João Paulo II abriu a causa de sua canonização. Recebeu o Nobel da Paz em 1979.

 

Evita Peron, política: Marcada por uma infância no campo e filha não reconhecida, Eva (1919-1952) trabalhou como atriz, modelo e locutora e se casou com o presidente argentino Peron. Lutou pelos direitos dos trabalhadores e da mulher.

 

Maria da Penha Maia Fernandes é uma brasileira que lutou para que seu agressor viesse a ser condenado. Com 60 anos e três filhas, é líder de movimentos de defesa dos direitos da mulher, vítima emblemática de violência doméstica.

 

Em 7 de agosto de 2006, foi sancionada a Lei Maria da Penha, que aumenta o rigor das punições às agressões contra a mulher, quando ocorridas no ambiente doméstico ou familiar.

 

Estas e tantas outras fizeram e fazem diariamente a história e a esta dita os rumos. Obrigado Minha mãe, obrigado minha esposa, obrigado minhas irmãs, minhas amigas e colegas de trabalho. Mulheres da Policia Civil do amazonas, muito obrigado por fazerem de nosso dia-a-dia razão de reconhecimento hoje e sempre.

 

Você, filha, amiga, namorada, amante, esposa, mãe, heroína: Suas palavras acarinham, seus carinhos extasiam, seu sorriso ilumina o dia escuro, seu amor é o sol que aquece. Seu colo é o sonho de um menino que de proteção carece. A ti Mulher. Que pela natureza é bênção querida, quero exaltar o teu real valor, não hoje simplesmente, aqui, agora! Mas que o Dia da Mulher o seja sempre: Hoje, amanhã, e a toda a hora.

 

 

 

Ó linda imagem de mulher que me seduz, Ah se eu pudesse tu estarias num altar. (Freire Junior).

 

 

O autor é Bacharel em Ciências Econômicas, presidente da AEPOL e Vice-Presidente do SINPOL-AM

Comentários »


Enviar comentário




Lida 593 vezes