Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Nota de Esclarecimento - caso Edson Cota

Nota de Esclarecimento - caso Edson Cota

 

 

 


O Sindicato dos Funcionários da Policia Civil do Estado do Amazonas, vem por esta esclarecer a sociedade amazonense a verdade sobre os fatos que foram veiculados na imprensa local sobre o incidente que vitimou o valoroso e saudoso colega de trabalho, o Policial Civil Edson Cota, e que por declaração precipitada veio a causar prejuízo moral e profissional a um colega de trabalho que esteve participando da fatídica operação de combate ao crime e em defesa de nossos cidadãos.


Edson Cota foi baleado e morto no dia 21 de outubro, após perseguição a assaltantes que estavam em um veículo Fiat Punto, cor vermelha, placa JXR-5875, realizando o golpe conhecido como “saidinha de banco”, conforme consta de diversas matérias veiculadas sobre o tema. Observamos que nossos companheiros são preparados para ações de confronto com delinquentes e também, que armas de uso restrito das policias são passiveis de serem usadas por criminosos, haja visto o exemplo dos fuzis apreendidos nas favelas do Rio de janeiro que assistimos nos telejornais diários. Afirmamos ainda, que por mais que tentem incriminar o companheiro de trabalho de ter cometido a tal falha do “fogo amigo”, este declara inocência, está legalmente amparado pelo principio da não culpabilidade, assim como, conta com testemunho dos colegas que estavam presentes no ato.
Repudiamos as infelizes declarações feitas pelo Diretor de Policia Metropolitana que sumariamente apontou o colega como responsável pelo fato. Desejamos sim, que a verdade prevaleça, jamais permitiremos que um trabalhador que coloca diariamente sua vida e a segurança de sua família em risco para proteger a sociedade seja execrado publicamente e tenha sua vida exposta a injustiça. Não se pode condenar a ninguém sem que haja o processo transitado e julgado. Não nos calaremos ou nos omitiremos diante de fatos e atos de injustiça, sejam estes contra nossos colegas de classe, seja contra qualquer cidadão.


É lamentável que um valoroso membro de nossa corporação tenha perdido a vida no cumprimento do dever, mas, colocar em xeque todos os bons serviços efetuados pela DERFD ao longo desses sete anos que está sob o comando do Delegado Orlando Amaral não parece ser o caminho da justiça e, de maneira nenhuma, contribui para o enaltecimento da instituição Policia Civil.


Primamos pela transparência, pela justiça, pela lisura das informações e nos solidarizamos com os colegas de profissão, com a imprensa e com a sociedade que merecem respeito e responsabilidade com o que se diz para que não coloquemos inocentes na cruz.


A DIRETORIA

 

Comentários »


Enviar comentário




Lida 712 vezes