Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Os guardiões da sociedade são agredidos e até mortos diariamente. SINPOL-AM diz basta.

Os guardiões da sociedade são agredidos e até mortos diariamente. SINPOL-AM diz basta.

  

O dia de hoje foi marcado por mais uma cena lamentável para a sociedade de homens de bem.

 

O corpo do policial militar Paulo Sergio Portilho, 34, foi encontrado na tarde desta terça-feira (30) em uma invasão chamada Buritizal Verde, no bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus.  A informação foi confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML).

 

O PM sumiu quando saiu da sua residência, localizada no conjunto Águas Claras, no bairro Cidade Nova, na Zona Norte, para trabalhar como segurança em uma pizzaria no conjunto Campos Sales, no Tarumã, na Zona Oeste de Manaus. Desde então ele não foi visto.

 

Desde a manhã de hoje, equipes do canil da Polícia Militar, da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) e do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) estavam na invasão Buritizal procurando pelo suposto corpo. Segundo um dos policiais, o local indicado do corpo foi informado em conversas de grupo de WhatsApp.

 

Não é novidade ou fato recente o que vem acontecendo com os agentes da segurança pública. Diariamente sofremos ameaças diversas e muitas vezes são direcionadas a familiares e amigos. Outras tantas, vimos companheiros sendo covardemente assassinados e após tanta barbárie, as famílias destes valorosos combatentes são sacrificadas pela burocracia imposta pela administração pública, sofrem tantas outras dores para tentar sobreviver com a pensão por morte a que estas têm direito, mas que quase sempre as leva a outro martírio para conseguir.

 

Nada justifica a qualquer cidadão agredir o Policial, principalmente em serviço e em seu local de trabalho. Ninguém está acima da lei e nem tem o direito de agir contra outrem de forma a destruir ou ferir esta pessoa. Não existe bandido ou qualquer cidadão ou profissional que esteja acima de um Policial. Muitos de nossos são vitimados e não se vê em nenhuma situação, qualquer comissão de direitos humanos se manifestar em defesa destes ou de suas famílias. Aconteça algo com algum infrator logo aparece a COMISSAO DE DIREITOS DOS MANOS, reclamando contra o Estado e contra a sociedade o fato de seus protegidos estarem sendo feridos em seus “direitos”.

 

Um fato recente que nos leva a criticar tais atos é o fato o fato ocorrido no ultimo domingo (28), quando um advogado e ex-policial civil, chegou ao 19 DIP em estado de consciência alterado e tentou agredir verbal e fisicamente, investigadores e delegados, sendo o mesmo contido como qualquer um que cometesse tal atentado.  Tal fato suscitou revolta de um grupo da OAB-AM que veio a público tentar intimidar nossos colegas protocolando denuncias junto a Delegacia Geral. Deixamos claro que os colegas têm nosso total apoio.

 

O titular do 19° DIP, delegado Paulo Benelli, informou que Luciano estava visivelmente alterado e fora do seu estado de consciência e, após muita discussão, tentou agredir com um soco um delegado e ameaçou de morte a delegada Juliana Viga. As acusações foram negadas por Luciano, que disse ter sido vítima dos policiais.

 

Conforme consulta no site do Tribunal de Justiça do Estado Amazonas (TJ-AM), Luciano responde na Justiça por homicídio simples e lesão corporal. Em 2010, na época investigador da PC, ele foi acusado de matar um policial a tiros durante uma briga no estacionamento de um bar. Esse processo foi encaminhado ao Tribunal do Júri e aguarda pauta para ser julgado no plenário.

 

O Vice-Presidente do SINPOL-AM, Odirlei Araújo comentou os fatos. “Em outras ocasiões eu tive a oportunidade de me manifestar e gritar contra os abusos que nós da classe policial sofremos diariamente. Os maus tratos começam pelas condições de trabalho a que somos expostos e onde temos que nos dobrar para dar conta do serviço que prestamos à nossa  sociedade. Nos faltam condições dignas dentro dos locais de trabalho, há anos trabalhamos com armas defeituosas, viaturas que além de poucas, ainda estão sucateadas, instalações prediais em vias de ruina e os benditos reajustes conquistados e garantidos em lei que o Governo do Estado até a saída do ex-Governador Melo não fez honrar. De igual forma, as promoções de nossos irmãos da Policia Militar e Bombeiros Militar. Está na hora da sociedade reconhecer quem de fato somos nós, o quanto somos importantes para ela. Está na hora de os órgãos de imprensa deixarem de tratar bandidos como jovens, adolescentes, homens ou mulheres. Bandido tem que ser tratado como bandido. Além do mais, também está na hora de parar de dar preço a drogas. Isso serve de propaganda e incentivo para que outros ainda não evolvidos, tenham interesse em participar de algo que lhes pareça lucrativo. Enfim, chega de hipocrisia, Policia é o bem e a proteção da sociedade, bandido é o mal e o prejuízo. Então digo que basta de injustiça contra nós.” Asseverou Araújo.

 

A Diretoria do SINPOL-AM mantem sua postura e assegura à sociedade amazonense que seus representados (Policiais Civis) são e sempre serão pessoas de bem, que se manterá atento e vigilante nos assuntos que envolvam os interesses e a defesa categoria e que jamais se calará ou deixará de exprimir sua opinião, ao tempo em que se irmana aos familiares do Policial Militar assassinado, assim também a toda a corporação Policia Militar e suas representações na busca por justiça e reconhecimento.

 

 

 

 

 

Jornalista responsável Silvio Rodrigues.  MTE-AM 416

Comentários »


Enviar comentário




Lida 1271 vezes