Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Polícia Civil: Novo comando e a confiança na justiça. Artigo por Odirlei Araújo

Polícia Civil: Novo comando e a confiança na justiça. Artigo por Odirlei Araújo

"Um exército de ovelhas liderado por um leão derrotaria um exército de leões liderado por uma ovelha". Provérbio Árabe

 

Início o artigo dessa semana com esse provérbio, justamente para chamar a atenção ao tema central do nosso artigo semanal. Comando.

 

Recebemos com satisfação a notícia de que o novo Delegado Geral, nosso líder e comandante será o Delegado Francisco Sobrinho, pessoa que eu e seguramente 99% da Polícia Civil do Amazonas admiramos seu trabalho, sua história e sua conduta ilibada, sendo considerado um profissional exemplar.

 

Fazemos votos de que a gestão do Doutor Sobrinho seja coroada de êxitos diários, que suas ações tenham a marca da justiça e que toda sua experiência e vivência, como líder e liderado, possa fazer-se presente em seu olhar para a classe que, ora passa a ser no todo, por ele comandada e reconheça-o como um bom comandante. Um comandante que motive seus subordinados, que reconheça o valor de cada membro da Polícia e a missão que estes desempenham diariamente; que mostre senso de justiça e que faça por onde merecer o sincero e justo reconhecimento de seus pares, principalmente pela sensibilidade e consciência de que cargos são passageiros e que não se deixa de ser policial quando se exerce um posto de comando, e que quem comandou ontem, hoje volta a ser comandado.

 

Um líder sem senso de justiça é como um barco sem leme, cedo ou tarde acabará de encontro às rochas. A liderança só é possível devido ao mecanismo de projeção. Os liderados projetam no líder seus anseios, sonhos e ideais por confiarem que ele poderá melhor conduzi-los à sua realização. Isto ocorre porque a figura do líder é vista sob as lentes especiais da admiração e do respeito, seja por suas qualidades/competências, seja por representar em sua postura, exemplo e/ou história e ideal comum.

 

Situações pendentes de solução devem ser corrigidas nessa nova gestão. Modernização da Lei de Promoções, com o objetivo de agilizar e tornar mais justa a forma como esta se aplica, considerando que a Lei nº 2.2875, de 25 de março de 2004, que institui o plano de cargos, carreiras e renumeração dos servidores da Polícia Civil do Estado do Amazonas encontra-se em sua aplicação viciada e ultrapassada. Hoje temos um quadro altamente qualificado, com profissionais de diversas áreas a serviço da instituição policial que, infelizmente estão sendo mal aproveitados e pouco valorizados.

 

Cargos comissionados e a presença de pessoas alheias à instituição manuseando documentos de interesse institucional e que deveriam ser de responsabilidade exclusiva de policiais colocam em risco a segurança e o sigilo. Para isso, o melhor é que esses cargos sejam preenchidos por policiais, visto que temos profissionais de diversas áreas e competências. Os adicionais de periculosidade e noturno que não são pagos na forma da lei, a gratificação por serviço extra que quase nunca chega a quem ultrapassa sua carga horária e que a poucos é concedida. Os plantões têm sido sacrificantes para nossos policiais, além de escalas apertadas e o número insuficiente de pessoal por plantão são exemplos de desvalorização de nossos profissionais.

 

Quadro de pessoal defasado e há muito esperando concurso público, instalações prediais precárias, veículos deteriorados, equipamentos eletrônicos ultrapassados e muitos sem funcionamento, conforto térmico quase inexistente, delegacias com carceragens superlotadas principalmente no interior do Estado, presos de justiça mantidos junto a presos comuns e transformando esses setores em verdadeiros barris de pólvora e nossos policiais em potenciais vítimas são outros exemplos.

 

Queremos uma gestão moderna, com senso de justiça balizando suas ações, queremos valorização do servidor da Polícia Civil do Amazonas, queremos ser reconhecidos pelo que somos e pelo que fazemos, queremos motivação para que possamos olhar para nós mesmos e podermos dizer com satisfação e prazer... VALE A PENA SER POLÍCIA CIVIL DO AMAZONAS.

 

Por fim, renovamos as esperanças de que a nova gestão da Delegacia Geral, na pessoa do nosso valoroso Delegado Francisco Sobrinho possa enfim olhar para seu coletivo com atenção de líder nato e conduzir este com motivação para que tenhamos mais a agradecer do que a pedir.

 

“É duro tanto ter que caminhar e dar muito mais do que receber...” (Zé Ramalho)

 

 

O autor é Bacharel em Ciências Econômicas, Escrivão de Polícia Civil, Presidente da AEPOL e Vice-Presidente do SINPOL-AM.

Comentários »


Enviar comentário




Lida 1179 vezes