Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Precisa-se de Escrivães e Investigadores. Artigo por Odirlei Araújo

Precisa-se de Escrivães e Investigadores. Artigo por Odirlei Araújo

URGENTE! A Polícia Civil do Amazonas está necessitando em caráter de urgência de profissionais Escrivães e Investigadores para início imediato. Os mesmos atuarão nas Centrais de Flagrante, preferencialmente nos plantões. Não é necessária experiência, basta que sejam concursados e estejam à disposição do Departamento de Polícia Metropolitana da Delegacia Geral. Os interessados devem comparecer as seguintes unidades: Em Manaus, nove delegacias funcionam como centrais de flagrantes, além de três especializadas, sendo: Zona Sul – 1º DIP (que também atende ocorrências do 7º e 24º DIPs) e 3º DIP (2º DIP). Zona Norte – 6º DIP (13º e 27º DIPs) e 15º (18º e 26º DIPs) Zona Leste – 9º DIP (11º, 25º e 29º DIPs) e 14º DIP (4º, 28º e 30º DIPs) Zona Oeste – 19º DIP (5º, 8º, 20º e 21º DIPs) Zona Centro Oeste – 10º DIP (17º DIP) Zona Centro-Sul – 12º DIP (16º, 22º e 23º DIPs) Além da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI) e Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), e por estar mais próximo, indicamos aos interessados a Central de Flagrantes do Rio Preto da Eva.

 

O tom irônico é exatamente para chamar a atenção ao fato de que temos vários Escrivães e investigadores que deveriam ser remanejados de suas delegacias de origem para as Centrais de Flagrante e não está acontecendo isso; ao contrário, diminuem a cada dia os servidores em serviço e aumenta a sobrecarga de trabalho nos plantões. Chegando-se ao extremo do absurdo de se ter uma Central para atender uma zona da cidade. Não é de agora que o SINPOL-AM vem alertando as autoridades dirigentes sobre o problema da falta de pessoal e estrutura precária em todas as delegacias a do Estado, sem exceção. Já foi inclusive encaminhado à Delegacia Geral, um relatório com amostras da situação em que se encontram DIP’s e especializadas, mas quase nenhuma providencia tem sido tomada, haja visto o descaso continuo com as centrais que além de atender grande parte dos bairros de suas zonas, ainda se encontram em situação de calamidade.

 

As instalações prediais e equipamentos continuam sucateados nas delegacias e centrais, e o mais gritante, é que não contam com pessoal suficiente para o serviço, sobrecarregam os que ali estão lotados e, por conseguinte, prestam um serviço sofrível para a população. Sem deixar de observar que parte do problema se dá também pelo fato de termos mais de duzentos servidores a disposição de órgãos alheios a segurança pública, muitos desses servidores com o aval do próprio governo, acredito que para cumprir acordo políticos.

 

O Governo do Estado investiu altas cifras em construção de prédios destinados a delegacias, dos quais muitos sequer tiveram suas obras concluídas, e ainda, estão fechando delegacias e levando investigadores e Escrivães para o DPM enquanto as Centrais de Flagrante têm seu ritmo de trabalho aumentado e sem efetivo, o qual só diminui. Piora ainda mais a situação quando os estagiários que substituíam Escrivães e agentes administrativos estão sendo caloteados e dispensados sumariamente. Isso não é seriedade de um governo que antes e durante a campanha eleitoral assumiu publicamente compromisso com a Segurança pública e seus trabalhadores.

 

Seguem alguns exemplos de contingente de policiais Civis e Militares, somente um pequeno exemplo: A 5º CICOM conta com 03 viaturas e dois Policiais ocupantes em cada turno de serviço, ou seja, um número abaixo do necessário, porém, superior ao número de Policiais Civis. Ainda a questão mais absurda é a somatória das 8°, 19°, 20° e 21° que somam 15 viaturas da Policia Militar e 40 Policiais Militares, enquanto a Policia Civil somente disponibiliza nos plantões 04 Investigadores, 01 Escrivão e um Delegado (a) para uma população de 253.589 habitantes na zona oeste da cidade de Manaus, compreendendo os bairros: Compensa, Glória, Lírio do Vale, Nova Esperança, Ponta Negra, Santo Agostinho, Santo Antônio, São Jorge, São Raimundo, Tarumã, Tarumã-Açu e Vila da Prata. É muita responsabilidade para tão pouco contingente. É muita falta de seriedade e observação aos indicativos da OIT-ONU que estabelecem um quantitativo de 01 (um) policial para cada 250,00 habitantes. Vamos então continuar cobrando seriedade, respeito e providencias. Concurso Público previsto para 2013 não aconteceu, e já estamos findando 2015. A nova lei de promoções ainda não foi nem discutida, as promoções que também esperamos desde 2013 ainda não aconteceram, data-base ainda sem posição oficial...

 

Enquanto isso, vamos regando nossa semeadura com suor, lágrimas e sangue, crentes de que em breve esse “sol” causticante irá abrandar e enfim veremos brotar do inacessível chão as flores e frutos do que diariamente plantamos. DIGNIDADE JÁ!

 

 

“Somos Kamikazes incapazes de ir à luta, somos quase livres isso é pior de que a prisão” (Engenheiros do Havaí) O autor é Economista, Escrivão de Polícia Civil e Vice-Presidente do SINPOL-AM.

 

Comentários »


Enviar comentário




Lida 1657 vezes