Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

Quadrilha acusada de tráfico de animais silvestres é presa com arraias raras

Quadrilha acusada de tráfico de animais silvestres é presa com arraias raras

 Uma quadrilha acusada de tráfico internacional de animais silvestres foi detida por volta das 15h da última segunda-feira (17), no município de São Paulo de Olivença (a 985 quilômetros de Manaus). De acordo com assessoria da Polícia Civil, o grupo foi preso na estrada do aeroporto do município com 38 arraias de espécie raras. Elas estavam alojadas em sacolas plásticas e sete dos animais já estavam mortos.

 

Quatro evolvidos, Ari Seabra Arevalo, 45, Raimundo Arevalo, 36, Francisco Chaves do Carmo,53, e um menor de 17 anos, tentaram fugir, mas confessaram o crime. Ainda conforme assessoria, a quadrilha era investigada desde 2013.

 

De acordo com o delegado titular da 52ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), José Afonso Barradas Junior, destacou que parte dessa quadrilha já havia sido presa no ano em que começaram as investigações.

 

“Nós já estamos na mira desses bandidos desde 2013, quando conseguimos prender cinco dos integrantes tentando embarcar com uma grande quantidade ilegal de peixes para tráfico. Já descobrimos que a rota de contrabando desse grupo passa pela Colômbia para enviar os animais aos Estados Unidos”, informou.

 

O delegado disse, ainda, que os animais foram avaliados em R$ 1 milhão e que as espécies capturadas estão na lista de seres em extinção e são encontradas apenas em dois lugares do Brasil, sendo um deles, no Rio Tapajós, rota do contrabando.

 

Os homens foram autuados por Crime Ambiental, formação de quadrilha e estão à disposição da Justiça. Agora os animais que seriam vendidos pela quadrinha para pesquisa e exposição em aquários estão sob cuidados de técnicos no local. 

 

 

Fonte : D24am

 

Administração - Unidos para Avançar

Presidente - Moacir Maia de Freitas

Diretor de Comunicação - Geraldo Filho

Assessores : Almir Cardoso e Silvio Caldas

Comentários »


Enviar comentário




Lida 998 vezes