Imprimir Compartilhar Enviar por e-mail

SINPOL-AM afirma que cerca de 3 mil servidores são afetados pelo atraso. Situação será discutida em assembleia geral com categoria no dia 21

SINPOL-AM afirma que cerca de 3 mil servidores são afetados pelo atraso. Situação será discutida em assembleia geral com categoria no dia 21

POLICIAIS CIVIS DO AM CONTINUAM SEM RECEBER TICKET ALIMENTAÇÃO.


Cerca de 3 mil servidores da Polícia Civil do Amazonas estão há quatro meses sem receber ticket alimentação. O Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Estado do Amazonas (Sinpol-AM) também denuncia que a categoria não tem promoções na carreira desde 2013.


Segundo o presidente do Sinpol-AM, Moacir Maia, cada servido da Polícia Civil recebia R$ 220 para comprar almoço e lanche durante o mês, mas ele afirma que o benefício foi interrompido há quatro meses.


"Os servidores estão passando constrangimentos nos supermercados e quando vão pagar a conta não tem nada no ticket. De certa maneira, é um constrangimento. Embora seja um valor pequeno, os servidores precisam desse ticket e contam com ele no orçamento familiar. Outro problema é a falta de promoção. A última promoção que tivemos foi em 2013, ou seja, há três anos sem receber promoção", disse o sindicalista.


Após protesto dos servidores, o atraso foi discutido em uma reunião entre representantes do Sinpol e da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP) no dia 18 de março. De acordo com Moacir Maia, o secretário de segurança pública, Sérgio Fontes, se comprometeu em buscar uma solução para o problema junto ao Governo do Amazonas, mas até o momento o atraso continua. Uma reunião prevista para ocorrer com a presença do governador do Amazonas, José Melo, ainda não foi realizada.


"Conversamos com o secretário e oferecemos a proposta para transformar o ticket alimentação, que atualmente é fornecido por uma empresa terceirizada contratada pelo Estado. Pedimos que o secretário levasse a proposta para o governador em transformar o ticket em auxílio alimentação de modo que pudesse ser feito o pagamento no contracheque. Desse modo evitaria os atrasos, pois o governo atrasa o pagamento da empresa que mantém o cartão e a empresa não repassa para o servidor. Se fosse diretamente no contracheque evitaria esse constrangimento", afirmou o presidente do Sinpol.


O atraso do ticket alimentação será debatido com servidores da Polícia Civil no dia 21 de abril durante assembleia geral. A categoria definirá quais medidas deverão ser tomadas.


A SSP-AM informou, em nota, que por conta da redução no orçamento, houve atraso temporário no pagamento de ticket alimentação, mas que a Polícia Civil está buscando uma solução administrativa financeira para normalizar a situação.


De acordo com a SSP, o Governo vem cumprindo anualmente com os reajustes escalonados previstos em Lei referentes não apenas à Polícia Civil, mas a todos os órgãos que compõe o Sistema de Segurança Pública do Amazonas.


"De acordo com a Secretaria de Estado da Administração (Sead), servidores da Polícia Civil receberam em janeiro deste ano aumentos que vão de 10,74% a 15,27%. Os reajustes são previstos em Lei, como forma de reposição de perdas salariais passadas e estão sendo pagos, de forma escalonada, pelo Governo do Estado, desde 2012 até 2016. A Polícia Militar e os Bombeiros também receberam reajuste em janeiro, que vão de 9,4% a 26,18%. Juntos, os reajustes representam um impacto de R$ 130,5 milhões na folha de pagamento do Estado", afirmou em nota.


Em relação às outras reivindicações, como Data Base, Promoções e Concurso Público, feitas pelo Sinpol-AM, o Governo alega que, em função da crise que teria impactado drasticamente na arrecadação, está impedido de adotar medidas que vão onerar ainda mais a folha de pagamento. "E que os gastos com pessoal estão no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal".

Comentários »


Enviar comentário




Lida 1078 vezes